Vereadores de Boa Vista aprovam nomes para as ruas B e S, no Cidade Satélite

por lucas93 — publicado 24/10/2018 13h15, última modificação 24/10/2018 13h15
Os PLs de Júlio Medeiros visam registrar o nome do casal Jonas Dias Carneiro e Maria de Matos Carneiro nas ruas. A nomeação ainda depende da Prefeitura
Vereadores de Boa Vista aprovam nomes para as ruas B e S, no Cidade Satélite

Vereador Júlio Medeiros, autor do PL (Danielle Silva)

Os vereadores de Boa Vista aprovaram nesta quarta-feira, 24, os Projetos de Lei do vereador Júlio Medeiros (Podemos) que nomeiam as ruas B e S, no bairro Cidade Satélite, com os nomes do casal Jonas Dias Carneiro e Maria de Matos Carneiro, respectivamente. As propostas seguem para a sanção da Prefeitura.

Jonas nasceu em 11 de fevereiro de 1932, em Pasto Bons (MA), mudou-se para Roraima em 1949, e foi trabalhar no garimpo, no Tepequém. Ao obter sucesso, tornou-se comerciante e comprador de diamantes de grande porte na região, fato que fez ele conhecido internacionalmente no ramo.

Foi no Tepequém que Jonas conheceu a esposa Maria, nascida em 6 de janeiro de 1937. Na localidade, ela começou a trabalhar com o pai, descascando arroz para sustentar os irmãos. O casal Carneiro mudou tornou-se conhecido na época, em Boa Vista, principalmente por patrocinarem eventos, como exposições agropecuárias.

Em 1984, Maria construiu um restaurante sobre as águas do Rio Branco, o “Bola Branca”, sensação da cidade na época. Em vida, ela também foi criadora de frango e porco de abate e vendia-os ao Governo do Estado. “Sempre foi uma guerreira e trabalhadora e uma das estrelas e pioneira do nosso Estado”, destaca Júlio Medeiros.

Dias Carneiro, depois de sair do Tepequém, começou a trabalhar com a pecuária, chegando a adquirir fazendas pelo antigo ex-Território de Roraima. Foi pioneiro na extração de seixo sobre o leito do Rio Branco e forneceu o material para construir a Ponte dos Macuxi e o Aeroporto Internacional de Boa Vista.

Jonas também foi dono de lojas, de supermercados e de açougue na capital. Na década de 1980, com o aquecimento do garimpo e a febre do ouro em Roraima, voltou ao ramo que consagrou-lhe, adquiriu máquinas e tornou-se dono de várias pistas de pouso nas regiões de garimpo.

O casal era militante e apoiador da política roraimense, tanto que Jonas candidatou-se a vereador em 1990, mas ficou como suplente. “Jonas Dias Carneiro, um homem de fibra voltado para o trabalho, foi fundamental na criação do Estado de Roraima”, disse o autor da homenagem.