Vereador Pastor Jorge pede recapeamento asfáltico de via que dá acesso à Penitenciária.

por milene — publicado 19/03/2019 12h37, última modificação 19/03/2019 12h37
O Vereador foi procurado pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários para ajudá-los a resolver uma situação que há anos eles buscam uma solução.
Vereador Pastor Jorge pede recapeamento asfáltico de via que dá acesso à Penitenciária.

Fotos: Danielle Silva/Secom CMBV

 Trafegar pela via que dá acesso à Penitenciária Agrícola do Monte (PAMC) tem exigido atenção dobrada dos motoristas. Os buracos espalhados pela via muitas vezes os obriga a dirigirem em zigue-zague, oferecendo risco para todos. Além do risco de acidentes, os buracos também danificam os veículos provocando problemas mecânicos como avarias nos amortecedores.

Para amenizar esse problema que vem se arrastando faz mais de seis anos, representantes do Sindicato de Agentes Penitenciários procuraram o vereador Pastor Jorge (PSC) para pedir ajuda. “A dificuldade de dirigir por aqui não é somente para os agentes, mas também para as famílias dos apenados, para os profissionais dos órgãos de justiça e advogados”, disse Lindomar Sobrinho, representante do Sindicato de Agentes Penitenciários.

Ele explicou que o Sindicato já formalizou pedido de manutenção da via por meio de documentos e fotos, mas até agora não houve nenhum posicionamento pelo órgão responsável. “Já pedimos ajuda do Estado e da própria Prefeitura, mas não nos atenderam”, comentou. Com a via em estado precário, o prejuízo é para todos também. “As viaturas são danificadas, principalmente em situação de emergência, que precisa de atendimento rápido”, frisou Sobrinho.

O vereador Pastor Jorge trafegou pela via e constatou os problemas. Para ele, faz-se necessário uma manutenção urgente. “Fui in loco averiguar a situação. Realmente a via está cheia de buraco representando perigo. Além da Indicação, vou à Secretaria de Obras do Município para buscar informação e saber se há previsão para recapeamento desta via”, disse.

O fluxo de pessoas é intenso neste trecho. Para fugir dos buracos, eles usam um desvio por uma estrada de terra. “Em dias normais, mais de 300 pessoas passam pela via. Já em dias de visita, o número sobe para mil pessoas, segundo nos informou o Sindicato. Vamos nos emprenhar e ajudar no que for preciso”, garantiu o vereador pastor Jorge.