Em audiência na Câmara, representantes da Cultura pedem criação do Conselho Municipal de Cultura

por lucas93 — publicado 23/11/2017 13h50, última modificação 23/11/2017 19h26
Evento reuniu representantes de diversos segmentos, como de audiovisual, música, artes visuais, quadrilha junina, dança e arte indígena
Em audiência na Câmara, representantes da Cultura pedem criação do Conselho Municipal de Cultura

Audiência pública reuniu diversos segmentos da Cultura (Foto: Alef Barros/Secom CMBV)

A Câmara de Boa Vista realizou nesta quinta-feira, 23, uma audiência pública para discutir as políticas públicas para a cultura, na capital. O evento reuniu representantes de diversos segmentos, como de audiovisual, música, artes visuais, quadrilha junina, dança e arte indígena.

Uma das maiores solicitações no evento foi a criação do Fundo e o Conselho Municipal de Cultura, com o objetivo de promover a participação democrática de pessoas que praticam atividades culturais.

“Esses mecanismos, como o fundo e conselho, as casas de cultura e cidadania nos bairros, fazem parte de um ‘kit de atuação’ na área cultural. Os outros Municípios já têm isso, isso já existe em outros Estados, nós não estamos inventando nada. O que nós estamos reivindicando é algo constitucional”, destacou o cantor Eliakin Rufino.

No evento, representantes da Cultura ainda ressaltaram a importância do segmento para fomentar a economia local. “Pessoas passam dias dançando. Outras esquecem que elas são trabalhadoras também, e utilizam da arte e da dança para sustentar suas famílias. Precisamos pensar políticas públicas para esses trabalhadores”, disse Wilkinson do Nascimento de Oliveira, representante do Fórum de Dança de Roraima.

Representante da Liga das Quadrilhas Juninas de Roraima, Sabá Moura considerou “histórica” a iniciativa de a Câmara realizar o debate. “Essa audiência é muito importante para nós, é histórica, é a primeira realizada pelo Município. É uma demanda dos segmentos culturais que foi muito bem acolhida pelos vereadores”, declarou.

“Não gostaríamos de ser visto apenas pelo espetáculo que cada um realiza dentro da sua área. Queremos consolidar as políticas públicas para a nossa cultura”, solicitou Moura.

Enoque Raposo, que representou a arte indígena, reclamou da falta de incentivo e espaço para desenvolver sua arte. “Temos dificuldade de fazer exposição, de realizar o deslocamento. Em Boa Vista, eu não tenho visto ainda um espaço só para as artes indígenas”, relatou.

Todas as solicitações feitas no evento serão reunidas em um relatório, o qual será enviado à Prefeitura de Boa Vista. O documento servirá de base para os vereadores cobrarem do Executivo Municipal as demandas.

“Eu acho que a gente precisa ajustar aquilo que já é feito como política cultural na cidade de Boa Vista a partir dessas demandas que vem da música, dos artistas plásticos, pessoas que já são tradicionais na cidade e vieram trazer as suas contribuições”, disse o vereador Professor Linoberg Almeida (Rede), requerente da audiência.

O vereador Marcelo Lopes (PEN) lembrou que a ideia de discutir o tema surgiu durante a audiência pública da Câmara que debateu o orçamento municipal para os próximos quatro anos. O evento realizado em setembro reuniu representantes de diversos segmentos, incluindo o cultural.

Lopes ressaltou que discutir as políticas para a cultura faz com que a Casa cumpra o seu papel.  “Realizamos esta audiência pública num momento inédito na história de Boa Vista”, declarou o parlamentar, que também solicitou o evento.

O requerimento que solicitou a audiência também foi assinado pelos vereadores Mauricélio Fernandes (PMDB) e Renato Queiroz (PSB), o qual foi aprovado pelo plenário da Câmara.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.