Em 1º turno, Câmara de Boa Vista aprova mudança do nome de rua do Paraviana

por lucas93 — publicado 14/03/2018 10h45, última modificação 14/03/2018 12h30
Ao elaborar o projeto, Rômulo Amorim colheu 32 assinaturas de moradores da rua, que atualmente se chama Freijó, e poderá passar a ser Maria Socorro de Alencar Meira
Em 1º turno, Câmara de Boa Vista aprova mudança do nome de rua do Paraviana

Vereador Romulo e família de Maria Socorro (Patrício Bispo)

A Câmara de Boa Vista aprovou nesta quarta-feira, 14, em primeiro turno, o Projeto de Lei 237/2018, do vereador Rômulo Amorim (PTC), que muda o nome da rua Freijó, no bairro Paraviana, para Maria Socorro de Alencar Meira.

O texto deve ser votado em segundo turno na próxima terça-feira, 20. Se aprovada novamente, a mudança do nome da rua só dependerá da sanção da prefeita Teresa Surita (MDB).

Ao elaborar o projeto, o primeiro-secretário da Casa colheu assinaturas de 32 moradores da via, que deram aval para a proposta tramitar na Câmara. A assistente social Maria Socorro morreu em 2015, aos 54 anos, depois de ter construído uma carreira consolidada na área da Saúde em Roraima.

“Hoje é um momento de muita satisfação e alegria e felicidade em poder homenagear uma pessoa que tem uma folha de serviços prestados ao Município de Boa Vista e ao Estado de Roraima”, disse Rômulo Amorim.

Segundo o vereador, Maria do Socorro contribuiu de forma “marcante e positiva” para a vida das pessoas com quem convivia, tendo em mente a importância de aplicar uma função social na prestação de um serviço público de qualidade para a população.

Nascida em São Paulo (SP), em 18 de dezembro de 1960, Maria Socorro chegou a Roraima em 1989. No Estado, iniciou sua trajetória profissional como assistente social no Serviço Social da Indústria (Sesi) e ainda foi professora e coordenadora de Criminologia no Instituto Superior de Segurança e Cidadania, e diretora do Centro de Saúde Olenka Macellaro e do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA).

Maria Socorro ainda dedicou-se ao trabalho social na Liga Roraimense de Combate ao Câncer (LRCC). Ela também obteve destaque nos serviços voltados a testagem e aconselhamento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), na área de DST-HIV-Aids, ao atuar em palestras de educação, aconselhamento e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.

Encerrou a carreira como servidora federal no Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) e em Roraima, no hospital materno Nossa Senhora de Aparecida. No mesmo ano de sua morte, teve o nome eternizado no Serviço de Assistência Especializada do hospital Coronel Mota.

Viúvo da homenageada, o advogado Carlos Meira, da Advocacia Geral da União (AGU), agradeceu à Câmara pela aprovação do projeto. “Maria Socorro fez jus à esta homenagem. Eu gostaria de expressar, em nome de toda a minha família, os meus agradecimentos aos vereadores que aprovaram”, declarou.