Criada comissão para discutir solução para retorno fechado em trecho urbano da BR-174

por lucas93 — publicado 27/03/2018 12h02, última modificação 27/03/2018 12h02
No cruzamento da rua Marquês de Pombal e a avenida Brasil, pedestres e ciclistas têm dificuldades para atravessar a via, devido ao tráfego intenso
Criada comissão para discutir solução para retorno fechado em trecho urbano da BR-174

Mirian, Pr. Jorge e Dra. Magnólia (Montagem Secom CMBV)

A Câmara de Boa Vista aprovou nesta terça-feira, 27, requerimento que cria comissão temporária especial para discutir uma solução definitiva para retorno fechado em um trecho urbano da BR-174.

O bloqueio do cruzamento, localizado entre a rua Marquês de Pombal e a avenida Brasil, no bairro Centenário, tem sido alvo de críticas de pedestres e ciclistas, que dizem ter dificuldades para atravessar a via, devido ao tráfego intenso de carros e motos.

Condutores também reclamam da distância para se fazer retornos na avenida Brasil, onde motociclistas podem ser flagrados retornando por uma brecha do bloqueio com a Marquês de Pombal. Além disso, comerciantes próximos afirmam que o fechamento do local tem prejudicado suas vendas.

A comissão criada foi sugerida na audiência pública presidida pela vereadora Doutora Magnólia (PPS), que reuniu várias autoridades locais, no último dia 15, na Câmara. O requerimento que o criou é de autoria dos vereadores Mauricélio Fernandes (MDB), Mirian Reis (PHS) e Pastor Jorge (PSC).

O grupo será formado por Reis, Jorge e Magnólia. “Com esta comissão, teremos mais força junto a esses órgãos para conseguirmos solucionarmos esta questão”, disse Mirian Reis.

O colegiado ainda contará com a colaboração de representantes de órgãos como o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e a Superintendência Municipal de Trânsito (SMTRAN).

Também irão compor a equipe o Conselho Municipal da Cidade de Boa Vista, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RR), o Exército Brasileiro, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e sindicatos de taxistas convencionais e de lotação.