Câmara de Boa Vista homenageará policial Cristiano Calú e o médico Augusto Botelho

por lucas93 — publicado 28/02/2018 11h16, última modificação 28/02/2018 11h16
O vereador Júlio Medeiros é o propositor da homenagem. Calú e Botelho receberão honrarias no plenário da Casa, em data a ser definida
Câmara de Boa Vista homenageará policial Cristiano Calú e o médico Augusto Botelho

Vereador Júlio Medeiros, propositor da homenagem (Danielle Silva)

A Câmara de Boa Vista aprovou nesta quarta-feira, 28, em turno único, os Projetos de Decreto Legislativo 1 e 2/2017, do vereador Júlio Medeiros (Podemos), que concederão honrarias ao policial militar Cristiano Calú, 39 anos, e ao médico Augusto Botelho, 70, por terem prestado estimada contribuição às suas profissões e à sociedade roraimense.

Calú receberá a Medalha de Honra ao Mérito Rio Branco e o Título de Cidadão Boavistense. Botelho, por sua vez, também receberá a medalha, além do Diploma de Gratidão da Cidade de Boa Vista. A solenidade de entrega das honrarias será no plenário Estácio Pereira de Mello, com data a ser definida.

CRISTIANO CALÚ

Nascido em Manaus (AM), no dia 17 de fevereiro de 1979, Cristiano de Aguiar Calú é policial militar desde 2000. Em sua profissão, participou de, pelo menos, dez cursos de formação e capacitação, sendo o último em 2017, quando fez o curso de habilitação de oficiais da PM, na Academia Coronel Walterler, no Rio Grande do Norte. Ele também marcou presença no primeiro Congresso Estadual de Segurança Pública, realizado pela Universidade Federal de Roraima (UFRR), em novembro passado.

AUGUSTO BOTELHO

Augusto Afonso Botelho Neto nasceu em 24 de dezembro de 1947, em Vitória (ES). O médico foi senador por Roraima de 2003 a 2011, pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em 2006, concorreu ao governo do Estado, mas não foi eleito. É filho do médico e ex-deputado federal Sylvio Lofêgo Botelho, o qual morreu em 1978, durante o exercício do mandato.

HONRARIAS

O título de cidadão é concedido a quem ajuda no desenvolvimento social local. O homenageado que o recebe passa a ser conterrâneo da cidade, mesmo que não tenha nascido ou resida no local que lhe agraciou. O Diploma de Gratidão, por sua vez, é destinado a reconhecer personalidades que prestaram benefícios à capital. E a Medalha Rio Branco é dada a pessoas ilustres e empresários locais que prestaram relevantes serviços para a comunidade.