Aprovado Título de Cidadão Boavistense ao advogado e professor Samuel de Jesus Lopes

por lucas93 — publicado 27/03/2018 11h23, última modificação 27/03/2018 11h23
A honraria tornará o paraense conterrâneo de Boa Vista e será concedida por ele ter prestado inestimável contribuição em prol da população roraimense
Aprovado Título de Cidadão Boavistense ao advogado e professor Samuel de Jesus Lopes

Idazio da Perfil é o autor da homenagem (Patrício Bispo)

A Câmara de Boa Vista aprovou nesta terça-feira, 27, Projeto de Decreto Legislativo do vereador Idazio da Perfil (PP) que concede o Título de Cidadão Boavistense ao advogado e professor universitário Samuel de Jesus Lopes, de 37 anos, “por seu inestimável trabalho e contribuição em prol da população roraimense”.

A honraria é concedida a quem ajuda no desenvolvimento social local e o agraciado passa a ser conterrâneo da cidade, mesmo que não tenha nascido ou resida no local que lhe agraciou. A solenidade de entrega será no plenário Estácio Pereira de Mello, em data a ser definida.

“Foi com todo sacrifício que ele chegou onde está e ainda vai chegar mais longe”, disse o autor da homenagem.

Formado em Direito pela Universidade Luterana do Brasil e especializado em Ciências Criminais pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Samuel de Jesus Lopes nasceu em Santarém (PA), em 9 de maio de 1980, e mora em Boa Vista desde 2010, quando começou a trabalhar como assessor técnico de procurador no Tribunal de Contas do Estado (TCE-RR).

Depois, com a concessão de autonomia administrativa e financeira ao Ministério Público de Contas (MPC-RR), o advogado tornou-se consultor jurídico do órgão e contribuiu para que a instituição tornasse autônoma, independente, forte e soberana na fiscalização das contas públicas.

Em 2013, tornou-se professor do curso de Direito do Centro Universitário Estácio da Amazônia, onde contribuiu para a formação de mais de quatro mil alunos. Ele também realiza atividades educacionais lúdicas com crianças nos bairros carentes da capital e no interior do Estado.

Antes de ser advogado e professor, Samuel de Jesus exerceu várias funções, como vendedor ambulante, lavador de carro, açougueiro, office boy e administrador.